9 comidas de rua vegetais

Dicas

9 comidas de rua vegetais

  • Compartilhe

Comidas de rua fazem parte de todas as culturas e tornam qualquer rolê bem mais gostoso, né? Por isso, reunimos uma listinha de petiscos deliciosos, de várias partes do mundo, com ingredientes de origem vegetal. Já anota aí quanta coisa maravilhosa pode matar a sua fome – e gula também!- no reino vegetal.

1) Patacones

Discos feitos de plátano (no Brasil, chamamos de banana-da-terra), os Patacones têm esse nome devido à primeira moeda cunhada na América Latina, èl Patacón. Legal, né?

De origem colombiana e super conhecidos em toda a América do Sul, os patacones – feitos com fatias de bananas-da-terra verdes fritas, amassadas para que fiquem achatadas e, então, fritas de novo –  acompanham diversos pratos tradicionais e também são servidos apenas com molho, sendo um dos mais populares, o de coentro. E aí, deu água na boca?

2) Dosa

cheese masala dosa recipe with sambar and chutney, selective focus

Fininha, crocante, feita na chapa e recheada com diversos sabores: parece crepe, mas é Dosa, prato originário do sul da Índia e que ganhou as ruas de todo o país.

Sua massa sedosa e bem líquida é feita de lentilha e arroz fermentados (o que faz dessa preparação uma alternativa suuuuuper proteica) e o recheio mais popular leva batata, cebola e várias especiarias indianas. Delícia é pouco, não dá vontade de parar de comer nunca!

3) Panelle

Panelle, uma fritura de rua de Palermo, do sul da Itália, é feito de farinha de grão de bico, água e sal e sua textura lembra a da polenta. Ganhei sua atenção? Sei que sim!

De origem árabe, que remonta a ocupação islâmica do sul da Europa (por volta do século IX), é consumida há centenas de anos e, normalmente, é servida com limão siciliano espremido na hora e pimenta-do-reino. Outra forma que os sicilianos adoram comer panelle: como recheio de sanduba. Gênios!

4) Falafel

Um bolinho incríveeeel que já ganhou muito espaço no Brasil. Com origem no Oriente Médio, sua verdadeira nacionalidade divide opiniões entre os que confiam ser de Israel e os que acreditam ser árabe. Inclusive, isso é pauta de discussões profundas sobre apropriação cultural, sabia?

Com base de grão de bico (em alguns países também se adicionam favas) e tradicionalmente frito, é temperado com alho, coentro, cebolinha, cominho e salsa e costuma dar o ar da graça enroladinho em pão pita com molho de tahine. Por aqui abriu o apetite e por aí?

5) Pizza a portafoglio 

Pizza a portafoglio é uma versão “para viagem” da preparação mais famosa – e maravilhosa – do planeta, a pizza. De origem napoletana, essa street food é a melhor opção quando o assunto é praticidade: dobrada em quatro e servida num papel grosso, fica bem fácil caminhar e comer por aí (cereja do bolo: portafoglio, em italiano, significa carteira).

Uma das coberturas mais tradicionais é a marinara, composta por tomate pelado amassado, alho, manjericão e azeite de oliva dos bons. 

6) Castanhas Portuguesas

Quem já viajou para Portugal no outono europeu conhece a figura do vendedor de castanhas. Anda pelas ruas com uma máquina móvel de ferro, onde elas são assadas no carvão e, depois, salgadas.

“Quem quer quentes e boas?” é o pregão tradicional, que tem o coração dos portugueses há mais de mil anos e encanta qualquer turista. A iguaria vem do tempo em que pastores e lenhadores aproveitavam as fogueiras para se aquecerem e, simultaneamente, assavam essas delícias. 

As castanhas assadas são sazonais, sempre vendidas à dúzia e servidas em cones de papel.

Receita originária dos povos indígenas brasileiros. O nome pamonha vem do tupi  “pa’muñã”, que significa pegajoso/grudento. Depois de séculos de adaptações, hoje é muito comum achar no centro-oeste e no nordeste do Brasil.

Com base de milho cozida em banho-maria, a massa é tradicionalmente embrulhada na própria palha do milho (ou em folha de bananeira, o que fica um charme!) e pode ser consumida quente ou fria. Fica ainda melhor na companhia de um cafézinho bem passado. Hmmmm!

8) Pipoca doce rosa

“Olha o pipoqueiro!”

Quem nunca gritou essa frase na rua para seus pais ou avós na infância?. Pipoca doce rosa povoa a nossa memória coletiva e é, até hoje, uma comida de rua que agrada crianças e adultos.

Normalmente ela é feita com poucos ingredientes: milho, óleo, açúcar e, claro, um corante alimentício vermelho, o grande responsável pela cor dessa de-lí-cia.

9) Zongzi 

Comidinha de rua chinesa, o Zongzi segue a tradição equivalente aos ovos de páscoa aqui no Brasil: vem em diversos tamanhos, recheios e embalagens e é um petisco especial que representa uma cultura inteira.  

Com formato de triângulo, amarrado com barbante na folha de bambu, esse bolinho grudento pode ser doce ou salgado, podendo ser recheado com pasta de feijão, cogumelos ou castanhas.

Siga nas redes